não é à toa que assinamos design de ideias

Nós não conseguimos fazer uma linha sem ter uma ideia por trás. Não é à toa que assinamos Design de Ideias.

Entendemos que o brilho do processo criativo depende de uma conexão com contextos, situações, estímulos e desejos, de conjunções específicas que provocam e justificam uma ideia vir para o mundo. Então, muito mais que achar situações plasticamente interessantes, texturas diferentes ou formas legais, acreditamos que tudo que colocamos no mundo está respondendo a uma ideia anterior que tem a ver com um contexto e uma oportunidade.

A Tátil integra de maneira muito profunda a área estratégica com a área criativa.

Na área de Estratégia, quando temos que fazer novas articulações, desenvolver pensamentos para criar uma técnica poderosa, original e adequada para um determinado cliente, isso também é criação.

A questão é que não interagimos ou nos relacionamos com o subjetivo, as ideias precisam ganhar forma, se materializar e o design dá um corpo a essa alma. É uma relação de corpo e alma, trabalhando as duas dimensões da forma mais integrada possível. Entendemos que temos um grande ganho quando colocamos na mesma mesa quem tem a lente para o subjetivo (estratégia, conceito) e quem tem a lente da materialização (design, desenho).

 

 

O processo criativo também é muito democrático aqui na Tátil, sempre fomos muito abertos. Todo mundo pode trazer ideias, não tem hierarquia nesse sentido. O case mais emblemático que tivemos foi o da criação da marca Olímpica e Paralímpica, ambas feitas por todo nosso time, quando mais de 100 pessoas participaram. Todo mundo trazendo ideias e mexendo nas ideias de todo mundo.

Não tem uma coisa de ego porque o nosso interesse é ver as ideias evoluírem.

E isso acontece quando somamos conhecimentos, pontos de vista e olhares. As melhores coisas que fizemos aqui foi a partir dessa mistura.

Fazemos isso com o cliente também, pois acreditamos que não desenhamos nada para ninguém, mas com alguém – o que faz muita diferença.

Ninguém entende mais dos desafios e negócios dos clientes que eles mesmos.

De modo geral, os convidamos sempre para participarem desse processo criativo.

Usamos algumas metodologias diferentes, que são orgânicas. Buscamos muito a inspiração na forma como a natureza resolve os seus problemas. E isso se torna importante e poderoso quando cruzamos com a inspiração que vem das pessoas, entendendo sobre comportamento, desejos e competências. Tentamos articular nossas ideias para que elas estejam sempre a serviço das pessoas e que façam a diferença no mundo. Colocar nossa capacidade criativa para a construção de um futuro desejável é essencial. Não por “bom mocismo”, mas porque é muito mais legal estar envolvido em projetos com propósito. Ideologicamente, mudar o mundo é o que nos move.