a natureza como fonte de inspiração

Extrair matéria-prima, transformá-la em produto e depois descartá-lo não é mais uma lógica viável para o planeta. E para as empresas, que se deparam com elementos finitos, também não. Por isso, recorrer à natureza como fonte de inspiração para desenvolver ideias é algo essencial para nós. Sempre valorizamos quais as alternativas sustentáveis para ajudar a responder à questão feita inicialmente.

Em primeiro lugar, é importante perceber que a inteligência do planeta funciona de uma forma circular. E as nossas ideias podem surgir também a partir desse princípio. É o que o conceito de Economia Circular propõe: que as empresas explorem novas maneiras de criar um valor sustentável e duradouro para a sociedade, reaproveitando os resíduos na produção de novos produtos. Isso lhes garante, inclusive, vantagem competitiva sobre as empresas que ainda produzem em uma lógica linear, mal vista por muitos.

Mas para ir a fundo nessa questão, é necessário, acima de tudo, ter confiança e criatividade para encontrar oportunidades circulares para redesenhar ideias. Um exemplo recente desse modelo é o couro ecológico feito a partir dos resíduos da produção de vinho. A ideia é da empresa VEGEA, que utilizou as cascas e as sementes da uva para criar um tecido, com textura semelhante e com boa resistência, capaz de substituir o material feito de pele de animal.

Você pode ver mais no site deles, aqui: http://www.vegeacompany.com/vegea/

É interessante perceber que a criatividade tem papel primordial nessa ciência. Pensar além nunca foi tão importante para a economia global como no cenário atual. A inteligência artificial a todo vigor, os avanços na biomimética e na internet provam cada vez mais que as futuras ideias de design podem ser limitadas apenas pela nossa imaginação. Pequenas alternativas podem expandir uma ideia de forma mais relevante para o mundo.