quanto mais invisível, melhor

5, 4, 3, 2, 1… ufa! Finalmente a propaganda, que é inserida antes do vídeo do YouTube, foi pulada. Uma coisa é certa recentemente: na maioria das vezes as propagandas incomodam.

Prova disso é que cerca de 309 milhões de pessoas utilizam software para bloquear anúncios na internet. Se é na TV, muda-se de canal.

Perante esse cenário, as marcas têm muitos desafios para se tornar mais relevante para os consumidores, e um dos principais é se integrar de forma mais orgânica no dia a dia das pessoas, ou seja, ser imperceptível.

A televisão já se firmou na abordagem de Marketing Invisível, com as novelas e reality shows que, além de manterem a audiência, cumprem seu papel mais efetivo: vender. Quando a protagonista utiliza uma cor específica de esmalte ou de um batom, é um exemplo dessa abordagem menos agressiva. Nas mais diversas plataformas, as novas tecnologias e desenvolvimento em Inteligência Artificial vão levar essas possibilidades para um outro nível, cada vez mais intrínseco.

Os executivos da área preveem que a AI irá revolucionar o marketing até 2020.

Mas isso não significa que, necessariamente, todas as marcas deverão investir em softwares complexos para realizar as campanhas. Os chatbots são um exemplo de como isso pode funcionar de forma simples. Através de um script, é possível responder mensagens individualmente e, ao mesmo tempo, em larga escala, sendo mais cômodo para o consumidor que prefere se comunicar mais por mensagem do que por ligação.

Em um nível mais avançado, mas na mesma linha de raciocínio, temos o Assistente Inteligente.

Sem a necessidade do uso das mãos, é possível criar um diálogo que, com o passar do tempo, a integração com as preferências e a rotina do usuário se tornarão mais eficiente e invisível.

Um exemplo é a Siri (iPhone) e o Google Assistent. Em um cenário futuro, eles serão capazes de prever a necessidade e a rotina dos consumidores. Para uma marca se manter duradoura na preferência do usuário, o marketing deverá deixar de atrair a atenção momentânea e agregar valor na vida das pessoas.